ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E/OU MOBILIDADE REDUZIDA: um estudo no Parque Nacional do Iguaçu e Hotel das Cataratas

Andrielle Pereira de Oliviera, Francieli Boaria

Resumo


A acessibilidade no turismo deve ser pensada em todos os aspectos: atrativos, hospedagem, transporte, entre outros. No Brasil, segundo os últimos dados do IBGE (2010), existem 24,5 milhões de pessoas com deficiência (14,5% da população), e, deste total, 4,3 milhões (2,5% da população) possuem limitações severas. Os profissionais, tanto os gestores quanto os estudiosos, devem estar conscientes da demanda existente e potencial que este público representa, e, assim, garantir que o acesso ao lazer seja amplo para todos. De abordagem qualitativa, esta pesquisa de campo faz uma análise quanto à acessibilidade da infraestrutura do Parque Nacional do Iguaçu e do Hotel das Cataratas para pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. Como resultado, identificou-se que ainda existem adequações à serem realizadas conforme as leis de acessibilidade vigentes, porém, ambas organizações buscam constantes melhorias para atender as necessidades dos turistas/hóspedes com tal perfil.

Palavras-chave: Acessibilidade. Meios de Hospedagem. Deficiência e/ou Mobilidade Reduzida.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/at.v1n3.p105-123

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Andrielle Pereira de Oliviera, Francieli Boaria

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-3524

Classificação Qualis/CAPES: B5