A IMPORTÂNCIA DO NEXO DE CAUSALIDADE NAS AÇÕES DE RESPONSABILIDADE CIVIL MÉDICA

Claudia Regina Althoff Figueiredo, Henrique Manoel Alves, Kevin de Carvalho Rozza

Resumo


Este estudo é de suma importância, pois aponta alguns enigmas que a responsabilidade civil médica apresenta ao profissional advogado e a importância de análise de documentação comprobatória em fase anterior ao ajuizamento da demanda judicial. O objetivo é analisar a importância do nexo de causalidade em demandas judiciais contra médicos. Para se chegar no objetivo, na primeira seção se trata do tipo de responsabilidade civil do médico; na segunda seção, explana-se a importância do nexo de causalidade nas obrigações médicas. Após, faz-se uma análise da importância do nexo de causalidade na configuração do erro médico. Conclui-se que o advogado deve tentar ao máximo explanar e achar o nexo de causalidade do erro médico e, caso não seja possível, deve não insistir na causa. Este trabalho não pretende esgotar o tema, desta forma, para atingir o objetivo deste trabalho utiliza-se, predominantemente, o método indutivo de pesquisa bibliográfica.


Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Álvaro Villaça. Teoria geral das obrigações e responsabilidade civil: curso de direito civil. 12. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

BERNARDES, Amanda. O médico e a indústria do dano. Disponível em: Acesso em: 19 maio 2017.

BRASIL. Código Civil Brasileiro. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2017.

BRASIL. Tribunal de Justiça de São Paulo. Apelação nº 9221225-61.2008.8.26.0000. Apelante: Maria De Lourdes Ferreira Dos Santos. Apelado: Hospital Santa Paula S.A. Relator: Ministro Donegá Morandini. São Paulo, 15 de dezembro de 2009. Disponível em:< https://goo.gl/5uXpki> Acesso em: 08 jun. 2017.

CHAMMARD, Gerges Boyer. MONZEIN, Paul. La responsabilité médicale. Paris: Presses Universitaires, 1974.

COSTA, Alexandre Araújo. COSTA, Henrique Araújo. O nexo de causalidade. Disponível em: Acesso em: 12 maio 2017.

LUZ, Hélio. O médico, essa “droga” desconhecida. Rio de Janeiro: ATHENEU, 1999.

MORAES, Irany Novah. Erro imaginário. Disponível em: Acesso em: 19 maio 2017.

OLIVEIRA, Daniele Ulguim. A responsabilidade civil por erro médico. Disponível em: Acesso em: 12 maio 2017.

PRETEL, Mariana. Da responsabilidade civil do médico: a culpa e o dever de informação. Disponível em: Acesso em: 16 maio 2017.

GRISARD, Nelson. Manual de orientação ética e disciplinar. 5. ed. Florianópolis: CREMESC, 2013.

ROSÁRIO, Grácia Cristina Moreira do. Responsabilidade Médica. Disponível em: Acesso em: 14 nov. 2015.

SILVA, Mário da Silva. Responsabilidade Civil. 9. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1998.

STIVAL, Ricardo. A banalização de ações judiciais envolvendo médicos e hospitais. Disponível em: Acesso em: 10 maio 2017.

STOCO, Rui. Tratado de responsabilidade civil: doutrina e jurisprudência. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: responsabilidade civil. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.