O NEOPROCESSUALISMO COMO UMA (POSSÍVEL) QUARTA FASE CULTURAL DO PROCESSO

Guilherme Christen Möller

Resumo


Tendo por objetivo investigar o neoprocessualismo, este artigo, num primeiro momento, o objetivo específico, explora as três fases metodológicas do processo a partir do diálogo entre “tempo, cultura e processo”, e, após, num segundo momento, o objetivo geral deste trabalho, no caso responder a seguinte pergunta: o neoprocessualismo é a quarta fase metodológica do processo? Por meio de um estudo dedutivo, consultando ao acervo de bibliografias específicas, obtêm-se, na conclusão, a confirmação da hipótese formulada, no caso, é impossível pensar que se vive no neoprocessualismo, afinal, existem outras propostas de períodos metodológicos que provêm de outras Escolas processuais, como o neoinstitucionalismo, o formalismo-valorativo, e assim por diante. Deve-se levar em conta que uma proposta metodológica de uma suposta quase fase para o processo civil brasileiro deve levar em conta todas essas posições doutrinárias provenientes dessas Escolas processuais que estão espalhadas pela nação.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVARO DE OLIVEIRA, Carlos Alberto. O formalismo-valorativo no confronto com o formalismo excessivo. In: DIDIER JÚNIOR, Fredie; JORDÃO, Eduardo Ferreira. Teoria Geral do Processo: panorama doutrinário mundial. Salvador: Jus Podivm, 2007. p. 125 – 150.

ATAÍDE JÚNIOR, Vicente de Paula. Processo Civil Pragmático. 2013. 278 p. Tese (Doutorado em Direito: Área de concentração em Direito das Relações Sociais do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal do Paraná) – Faculdade de Direito, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

BAPTISTA DA SILVA, Ovídio de Araújo. Processo e Ideologia: o paradigma racionalista. Rio de Janeiro: Forense, 2006.

BARROSO, Luís Roberto. Neoconstitucionalismo e Constitucionalização do Direito (O Triunfo Tardio do Direito Constitucional no Brasil). Revista da EMERJ, Rio de Janeiro, v. 9, n. 33, 2006.

FERNANDES, Ricardo Vieira de Carvalho; BORGES, Alexandre Walmott. Neoconstitucionalismo: os delineamentos da matriz do pós-positivismo jurídico para a formação do pensamento constitucional moderno. Revista Novos Estudos Jurídicos, v. 15, n. 2, p. 288-305, maio-ago de 2010.

CARNELUTTI, Francesco. Profilo dei rapporti tra diritto e processo. Rivista di Diritto Processuale, 1960, ano 35, n. 4.

FALZEA, Angelo. Sistema culturale e sistema giuridico. In: ______. Ricerche di teoria generale del diritto e di dogmatica giuridica. Milano: Giuffrè, 1999.

DIDIER JÚNIOR, Fredie. Curso de Direito Processual Civil. 17. ed. rev. ampl. e atual. conforme o Novo CPC, o Provimento nº 37/2014 (Conselho Nacional de Justiça), a Resolução nº 118/2014 (Conselho Nacional do Ministério Público) e as Leis nº 13.015/2015 (Recursos de Revista Repetitivos), 13.043/2014, 13.058/2014 e 13.089/2015 (Estatuto da Metrópole). Salvador: Jus Podivm, 2015.

DINAMARCO, Cândido Rangel. A instrumentalidade do processo. 13. ed. São Paulo: Malheiros, 2008.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método. 7. ed. Tradução de Flávio Paulo Meurer. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Universidade São Francisco, 2005. v. 1: Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica.

GAIO JÚNIOR, Antônio Pereira. Direito Processual Civil. 2. ed. Belo Horizonte: Del Rey, 2008. v. 1: teoria geral do processo.

HERZL, Ricardo Augusto. Neoprocessualismo, processo e Constituição: tendências do Direito Processual Civil à luz do neoconstitucionalismo. Florianópolis: Conceito, 2013.

JOBIM, Marco Félix. Cultura, Escolas e Fases Metodológicas do Processo. 4. ed. rev. atual. de acordo com o Novo CPC. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2018.

LEAL, Rosemiro Pereira. Teoria Geral do Processo: primeiros estudos. 9. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

MARINONI, Luiz Guilherme; ARENHART, Sérgio Cruz; MITIDIERO, Daniel. O Novo Processo Civil. 2. ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2016.

MITIDIERO, Daniel. Colaboração no processo civil: pressupostos sociais, lógicos e éticos. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2009.

ROCHA, Leonel Severo. Direito e autopoiese. In: STRECK, Lenio Luiz; ______; ENGELMANN, Wilson (Org.). Constituição, Sistemas Sociais e Hermenêutica: anuário do Programa de Pós-Graduação em Direito da UNISINOS: Mestrado e Doutorado. n. 13. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2017. p. 123 – 136.

STRECK, Lenio Luiz. Verdade e Consenso: constituição, hermenêutica e teorias discursivas. 6. ed. rev. atual. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2017.

VARGAS LLOSA, Mario. Breve discurso sobre a cultura. In: MACHADO, Cassiano Elek (Org.). Pensar a cultura. Porto Alegre: Arquipélogo, 2013. p. 11 – 31.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.