A PRODUÇÃO DA PESCA INDUSTRIAL EM SANTA CATARINA

H. A. Andrade

Resumo


O Estado de Santa Catarina, um dos maiores produtores nacionais de pescado, possui uma frota numerosa e diversificada. As capturas das diversas frotas têm mostrado grandes oscilações anuais em termos de desembarque em peso, que interferem substancialmente na economia local e estadual. Com o objetivo de identificar as tendências e avaliar as causas das variações interanuais da captura foi feito um levantamento histórico dos dados disponíveis sobre a pescaria das diversas frotas a partir da década de 80. As maiores linhas catarinenses de pescado são em primeira instância as capturas de peixes pelas frotas de traineiras, parelhas e vara e iscaviva. A maioria das pescarias apresentaram o padrão comum de relação inversa entre o esforço despendido e a CPUE. O ano de 1991 da pesca de traineiras foi uma exceção, explicada pela implementação do defeso em 1990. Outra exceção ocorreu para a pesca de parelhas, explicada aparentemente pelo caráter extremamente multi-específico dessa pescaria. As oscilações e a tendência geral crescente de produção de pescado de 1989 a 1991, foram basicamente um reflexo das variações na pesca de traineiras. Entretanto, o incremento em 1993 é resultante de aumento generalizado dos esforços de pesca, onde destaca-se o grande desenvolvimento das pescas de caceio e de espinhel. Outro fator que contribuiu também para a tendência crescente de 1989 a 1993 foi provavelmente o aproveitamento nas pescarias de arrasto de fundo de espécies que antigamente eram tidas como rejeito.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/bjast.v2n1.p1-16

(eISSN: 1983-9057, ISSN: 1808-7035)