COMPOSIÇÃO E VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA CAPTURA DA FROTA DE TRAINEIRAS ENTRE 1997 E 1999 NO PORTO DE ITAJAÍ, SC

D. S OCCHIALINI, P. R SCHWINGEL

Resumo


A frota de traineiras que desembarca no porto pesqueiro de Itajaí, SC, atua em uma ampla área da costa sudeste-sul do Brasil, concentrando suas atividades na plataforma continental entre Imbituba (28°20’S) e Ubatuba (23°20’S) em profundidades de 10 m até 70 m. O objetivo deste trabalho é verificar a composição da captura e a variação espaço-temporal nos desembarques da frota de traineiras entre 1997 e 1999. Um total de 753 registros de desembarques foram analisados. A plataforma continental foi dividida em 4 setores: Imbituba-Itajaí (setor 5), Itajaí-Cananéia (6), Cananéia-Santos (7) e Santos-Ubatuba (8) e esses subdivididos em profundidades até 40 m (subsetor a) e de 40 a 80 m (b). A sardinha-verdadeira (Sardinella brasiliensis) foi a principal espécie capturada em todos os setores, representando uma média de 87% dos desembarques em 1997 e reduzindo para 40% em 1999. A sardinha-lage (Opisthonema oglinum) ocorreu nos setores 5ab e 6ab, representando, em média, 15% das capturas enquanto a palombeta (Chloroscombrus chrysurus) foi uma espécie capturada exclusivamente em profundidades até 40m nos setores, 6 e 7. Essas duas espécies aumentaram sua participação nas capturas ao longo do período analisado. Espécies demersais, como a corvina (Micropogonias furnieri) e o bagre (Netuma spp.), ocorreram exclusivamente nas capturas realizadas em profundidades menores que 40m nos setores 5 e 6, apresentando desembarques significativos a partir de 1998. De forma geral,observou-se que o principal setor de captura da frota de traineiras é entre Itajaí e Cananéia (setor 6) e que no período analisado a pescaria passou de mono para multiespecífica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/bjast.v7n1.p11-22

(eISSN: 1983-9057, ISSN: 1808-7035)