A ictiofauna da bacia do rio Sarapuí, SP, Brasil: estrutura das assembleias e a influência da sazonalidade

Welber Senteio Smith, Mariane Batista Nascimento

Resumo


 Esse trabalho teve como objetivo determinar a composição da ictiofauna da bacia do rio Sarapuí e caracterizar a sua comunidade, utilizando para isso coletas em 4 pontos no rio principal, 2 no ribeirão do Camapuã e 2 no ribeirão dos Macacos além de trabalhos realizados anteriormente em outros pontos da bacia. As coletas foram realizadas no período chuvoso e seco durante o ano de 2010. Também foi realizada uma caracterização ambiental a fim de verificar possíveis atividades antrópicas, tais como desmatamento, agricultura, pecuária e vestígios de antigas extrações de areia, além de análise de pH e temperatura. Os peixes foram coletados com 2 baterias de redes de espera e peneira. Foram identificadas 27 espécies, distribuídas em 13 famílias e 04 ordens. A ordem mais representativa foi Characiformes, destacando a família Characidae e a espécie Astyanax altiparanae. Os pontos Sa01 e Sa03 foram os mais representativos em número de espécies, o ponto Sa04 em abundância, enquanto que a diversidade foi maior no ponto Sa03. Considerando todos os trabalhos realizados até o momento foi constatada a ocorrência de 61 espécies distribuídas em 6 ordens e 19 famílias, sendo as ordens Characiformes e Siluriformes as mais representativas. O presente estudo contribui para o levantamento de informações acerca das assembléias de peixes da Bacia do rio Sarapuí e permite concluir que a apesar da bacia sofre inúmeras perturbações que colocam em risco a sua ictiofauna, o fator mais influente sobre os atributos das comunidades avaliadas no rio Sarapuí é a sazonalidade enquanto que esse fator não é relevante para os rios de menor ordem.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/bjast.v20n1.5984

(eISSN: 1983-9057, ISSN: 1808-7035)