Nitrogênio e matéria orgânica em dois rios com diferentes graus de impactos no sistema estuarino de Santos (São Paulo, Brasil)

Bruno Otero Sutti, Roberto Pereira Borges, Luciana Lopes Guimarâes, João Marcos Miragaia Schmiegelow

Resumo


Este estudo visou avaliar sazonalmente e espacialmente as principais formas de nitrogênio inorgânico dissolvido (NID) e matéria orgânica (MO) nas águas superficiais dos dois maiores rios da Ilha de Santo Amaro, o Maratuã e o Crumaú. Estes apresentam características físicas similares, porém com diferentes níveis de interferências antropogênicas. Foi definida uma estação oceanográfica na jusante de cada rio, e uma terceira a montante do Crumaú. Neste local, os baixos valores de oxigênio dissolvido (OD) e pH em meio as elevadas concentrações de N-amoniacal, estabeleceram elevada razão NID/MO, apontando assim o aterro sanitário como uma contribuição mais significativa de nitrogênio a essas águas do que os despejos de esgotos “in natura” (comunidade de palafitas), ambos existentes nos arredores da nascente deste rio. O acentuado declínio de NID nas águas a jusante do Rio Crumaú indicaram a volatização/desnitrificação como o principal processo de remoção. Por outro lado, a maior distancia dos efluentes/despejos e o bom estado de preservação do manguezal da região jusante do Rio Maratuã refletiram nas maiores concentrações de MO, onde a nitrificação provavelmente esteve significativa devido aos mais elevados teores de OD e percentuais de nitrato. Este íon obteve um aumento de 50% no período chuvoso, com concentrações máximas nas jusantes dos rios, onde as elevadas velocidades de correntes traz um alerta à eutrofizações também em águas do canal de Bertioga.

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/bjast.v20n1.6864

(eISSN: 1983-9057, ISSN: 1808-7035)