Implicações da Crise Econômica Internacional de 2008 para o Brasil

Ivanir Schroeder, Natalí Nascimento, Thammy Thomé Hack

Resumo


A crise econômica mundial iniciada em 2007 no setor imobiliário norte- americano teve sua origem na consequência da concessão de crédito às pessoas com baixa renda, que posteriormente não puderam honrar com os empréstimos obtidos. Esse processo eclodiu na falência de bancos e outras instituições financeiras importantes norte-americanas. Devido à atual globalização, a crise acabou por atingir e abalar toda a economia internacional. Com o objetivo de expor quais foram as medidas adotadas pelas maiores potências econômicas mundiais para amenizar as causas da crise, este artigo se propôs também a apresentar o cenário econômico mundial e brasileiro após a crise financeira. Para isso, utilizou-se a metodologia qualitativa, bibliográfica e explicativa. Quanto aos principais resultados, foi possível perceber ao final do estudo que os maiores bancos do mundo obtiveram grandes perdas financeiras em seus balanços e que os governos de diversos países se viram diante de uma situação em que a única solução cabível para abrandar os efeitos negativos foi a criação de pacotes econômicos para auxiliar no sistema financeiro. Com relação ao Brasil, como este estava com a economia estável na época, passou a sentir os efeitos da crise somente a partir do primeiro trimestre de 2009; e seus indicadores econômicos, após a explosão da crise, apresentaram um comportamento diferenciado do que vinham tendo em alguns setores da economia, mas, ainda assim, não foi um país tão fortemente abalado economicamente em comparação aos demais apresentados.

Palavras-chave: Crise econômica mundial. Economia Internacional. Indicadores
econômicos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.