POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O TRATAMENTO DE CONFLITOS NO BRASIL E NOVAS TECNOLOGIAS: PERSPECTIVAS DE UTILIZAÇÃO DA MEDIAÇÃO DIGITAL EM UMA SOCIEDADE (SEMI) DIGITAL

Marcelo Dias Jaques, Fabiana Marion Spengler

Resumo


A pesquisa se propõe a analisar a mediação digital como política pública que utiliza as novas tecnologias da informação e comunicação para o tratamento de conflitos no Brasil, com o objetivo de analisar as perspectivas da implementação do instituto no país. A pesquisa possui caráter qualitativo e adota o método dedutivo, se estruturando basicamente a partir de pesquisa bibliográfica. Após um primeiro momento de construção teórica quanto às transformações havidas nas relações humanas a partir das novas formas de comunicação e análise social do conflito, o estudo passa a apreciar a mediação digital e sua positivação no direito brasileiro, concluindo que o ordenamento jurídico recentemente inaugurado ainda necessita maior amadurecimento.

Palavras-chave


Mediação digital; Novas tecnologias; Políticas públicas; Tratamento de conflitos.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. BOBBIO, Norberto. o terceiro ausente: ensaios e discursos sobre a paz e a guerra. Barueri: Manole, 2009. BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

BRASIL. ePWG - Padrões Web em Governo eletrônico. Disponível em: . Acesso em: 28. jul. 2016.

BRASIL. Lei no 13.105, de 16 de março de 2015. 2015a. Código de Processo Civil. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

BRASIL. Lei no 13.140, de 26 de junho de 2015. 2015b. Dispõe sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsias e sobre a autocomposição de conflitos no âmbito da administração pública; altera a Lei no 9.469, de 10 de julho de 1997, e o Decreto no 70.235, de 6 de março de 1972; e revoga o § 2o do art. 6o da Lei no 9.469, de 10 de julho de 1997. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

CALMON, Petrônio. Fundamentos da mediação e da conciliação. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: do conhecimento à política. In: CASTELLS, Manuel; Cardoso, Gustavo [orgs.]. A sociedade em rede: do conhecimento à acção política. Brasília: Imprensa nacional – Casa da Moeda, 2006.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça. 100 maiores litigantes - 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça. CNJ lança sistema de Mediação Digital para solucionar conflitos da população. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça. Fórum Nacional da Mediação e Conciliação – FonAMeC. Disponível em:. Acesso em: 22 jul. 2016.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça. Mediação Digital: a justiça a um clique. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça. Resolução no 125 de 29 de novembro de 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

ESTADO DA BAHIA. Tribunal de Justiça. TJBA e CNJ lançam projeto para mediação digital em créditos da Fazenda estadual. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2016.

ESTADO DO CEARÁ. Poder Judiciário. Mutirão de Mediação Digital é tema de audiência pública no CnJ. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2016.

DAHRENDORF, Half. Homo Sociologicus. Ensaio sobre a história, o significado e a crítica da categoria social. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1991.

GARAPON, Antoine. o guardador de promessas: justiça e democracia. Lisboa: Instituto Piaget, 1996.

HEREDIA, Ramón Alzate Sáez de; VILLANUEVA, Itziar Fernández; ORTIZ, Cristina Merino. Desarrollo de la cultura de la paz y la convivencia en el ámbito municipal: la mediación comunitaria. Política y Sociedad, Madrid, n. 1, p. 179-194, mar. 2013.

HUMET, Joan Subirats et al. Análisis y gestión de políticas públicas. Barcelona: Planeta, 2012. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional por Amostra de

Domicílios: síntese de indicadores 2014. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. LEMOS, André [org]. Cibercidade: a cidade na cibercultura. Rio de Janeiro: E-Pappers Serviços Editoriais, 2004,

LEMOS, André; LÉVY, Pierre. o futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia. São Paulo: Paulus, 2010

LEONARDI, Marcel. tutela e privacidade na Internet. São Paulo: Saraiva, 2012.

MARTÍN, Nuria Belloso. A mediação. In: SPENGLER, Fabiana Marion; LUCAS, Doglas Cesar (Orgs.). Justiça restaurativa e mediação: políticas públicas no tratamento dos conflitos sociais. Ijuí: Unijuí, 2011.

MORAIS, Jose Luiz Bolzan; SPENGLER, Fabiana Marion. Mediação e arbitragem: alternativa à jurisdição! 3. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

MUÑOZ, Helena Soleto. La Mediación: Método de Resolución Alternativa de Conflictos en el Proceso Civil Español. Revista eletrônica de Direito Processual, ano 3, vol. 3, jan./jun. 2009.

OST, François. Contar a lei: as fontes do imaginário jurídico. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2004.

OST, François. o tempo do direito. Lisboa: Instituto Piaget, 1999. RECUERO, Raquel. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009. RESTA, Eligio. tempo e processo. Santa Cruz do Sul: Essere nel Mondo, 2014.

RESTA, Eligio. Tempo, processo e mediação. Revista do Direito, Santa Cruz do Sul, p. 2-22, jan. 2009. SANTOS, Boaventura de Sousa. Para uma revolução democrática da justiça. Coimbra: Almedina, 2014.

SILVA, Enio Waldir da. entre o estado e a sociedade civil: a economia solidaria como novo movimento social. In: BEDIN, Gilmar Antônio (org.). Cidadania, direitos humanos e equidade. Ijuí: Unijuí, 2012.

SIMMEL, Georg. El conflito: sociologia del antagonismo. 2. ed. Madrid: Sequitur, 2013. SPENGLER, Fabiana Marion. Fundamentos políticos da mediação comunitária. Ijuí: Unijuí, 2012.

SPENGLER, Fabiana Marion. Mediação de conflitos: da teoria à prática. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2016.

SPENGLER, Fabiana Marion. Retalhos de mediação. Santa Cruz do Sul: Essere nel Mondo, 2014. SPENGLER, Fabiana Marion. Uma Relação a Três: O Papel Político e Sociológico do Terceiro no

Tratamento dos Conflitos. Revista Dados. v. 59, n. 2, Rio de Janeiro, abr./jun. 2016. WARAT, Luis Alberto. A rua grita Dionísio! Direitos Humanos, alteridade, surrealismo e

cartografia. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

WERMUT, Maiquel Ângelo Dezordi. Por que a guerra?: de Einstein e Freud à atualidade. Santa Cruz do Sul: Essere nel Mondo, 2015.

WOLTON, Dominique. Internet, e depois? Uma teoria crítica das novas mídias. Porto Alegre: Sulina, 2013.




DOI: https://doi.org/10.14210/nej.v23n1.p208-239

A NEJ está indexada nas seguintes bases de dados, que cooperam na divulgação do material: CAPES periódicos; LATINDEX; Base de dados da Rede Virtual de Bibliotecas Congresso Nacional - RVBI; IBICT; CrossRef - Digital Object Identifier Registration Agency of the International DOI Foundation; vLex; Google Acadêmico e REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico).