JUDICIALIZAÇÃO DA POLÍTICA E PODER LEGIFERANTE: A ILEGITIMIDADE DA INTERFERÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NA POLÍTICA NACIONAL

Claudio Ladeira de Oliveira, Suellen Moura

Resumo


O presente artigo analisa a judicialização da política como causa e consequência de uma postura ostensiva de verificação política da legislação, sustentando um descompasso normativo e empírico da legitimidade da legiferação judicial e ilustrando a posição de proeminência do Supremo Tribunal Federal no controle da política nacional com
exposição de exemplos recentes no campo da representação política.

 


Palavras-chave


Judicialização da política; Legitimidade de legiferação; Representação política.

Texto completo:

PDF

Referências


AVRITZER, Leonardo; MARONA, Marjorie Corrêa. Judicialização da política no Brasil: ver além do constitucionalismo liberal para ver melhor. In: Revista Brasileira de Ciência Política, no 15. Brasília, set. – dez. de 2014, pp. 76-77.

BARROSO, Luis Roberto. Judicialização, Ativismo Judicial e Legitimidade Democrática. In: (Syn)thesis, v. 5, n. 1, 2012.

BARROSO, Luis Roberto. Constituição, democracia e supremacia judicial: direito e política no brasil contemporâneo. In: RFD- Revista da Faculdade de Direito- UERJ, v. 2, n. 21, jan./jun. 2012.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

ELSTER, Jon. Regla de Mayoría y derechos individuales. In: Agora: caderno de estúdios políticos, ano 4, n. 8, 1988, pp. 23-57.

ENGELMANN, Fabiano. Internacionalização e ativismo judicial: as causas coletivas. In: Lua Nova, São Paulo, 69: 123-146, 2006.

GLEZER, Rubens. SUPREMO EM PAUTA: Poderes em desequilíbrio Disponível em: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,supremo-em-pauta-poderes-em- desequilibrio,70001840100. Acesso em: 12 dez. 2017.

HOLMES, Stephen. Constituições e constitucionalismo, in ASENSI, Felipe. PAULA, Daniel Giotti de (orgs). Tratado de Direito Constitucional, vol. 2, Rio de Janeiro: Elsevier, 2014, 577-608.

KELSEN, Hans. Jurisdição Constitucional. São Paulo: Martins Fontes, 2003. KOERNER, Andrei. Ativismo Judicial. In: Novos estudos – CEBRAP, Dossiê: 25 anos da Constituição de 1988, n. 96. São Paulo July 2013, pp. 76-77.

MACIEL, Débora Alves; KOERNER, Andrei. Sentidos da judicialização da política: duas análises. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/ln/n57/a06n57.pdf. Acesso em: 11 dez. 2017.

MOREIRA, Luiz, org. Judicialização da Política. 1. ed. São Paulo: 22 Editorial, 2012. MARAVALL, José Maria. PRZEWORSKI, Adam (orgs). Democracy and the rule of law. Cambridge:

Cambridge University Press, 2003.

SHAPIRO, Sweet. On Law, Politics, and Judicialization. New York: Oxford University Press, 2002.

SCHMITT, Carl. O Guardião da Constituição. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.

STF. AÇÃO CAUTELAR 4039. Relator Ministro Teori Zavascki. DJ: 25/11/2015. STF, 2015, p. 38. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=304788. Acesso em: 8 jan. 2018.

TATE, C. Neal; VALLINDER, Torbjorn. The Global Expansion of Judicial Power. New York: New York University Press, 1995.

VERBICARO, Loiane Prado. Um estudo sobre as condições facilitadoras da judicialização da política no brasil. In: Revista Direito GV, jul.-dez. 2008, São Paulo, p. 389-406.

VERONESE, Alexandre. A judicialização da política na América Latina: panorama do debate teórico contemporâneo. In: Escritos – três – Revista da Fundação Casa de Rui Barbosa, ano 3, n. 3, 2009.

VIEIRA, Oscar Vilhena. Supremocracia. In: Revista Direito GV, São Paulo, jul-dez de 2008, p. 441-464.

WALDRON, Jeremy. A Essência da Oposição ao Judicial Review, in BIGONHA, Antonio Carlos Alpino; MOREIRA, Luiz (orgs). Legitimidade da jurisdição Constitucional. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010, pp. 93-157.

WALDRON, Jeremy. Derecho y desacuerdos. Traducción José Luis Martí y Águeda Quiroga. Madrid: Marcial Pons, Ediciones Jurídicas y Sociales, S.A., 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.14210/nej.v23n2.p466-490