APLICAR A “LETRA DA LEI” É UMA ATITUDE POSITIVISTA?

Lenio Luiz Streck

Resumo


O positivismo (nas suas mais diversas facetas) não conseguiu aceitar a viragem interpretativa ocorrida na
filosofia do direito (invasão da filosofia pela linguagem) e suas conseqüências no plano da doutrina e da
jurisprudência. Então, como é possível continuar a sustentar o positivismo nesta quadra da história? Entre
tantas perplexidades, parece não restar dúvida de que uma resposta mínima pode e deve ser dada a essas
indagações: o constitucionalismo – nesta sua versão social, compromissória e dirigente – não pode repetir
equívocos positivistas, proporcionando decisionismos ou discricionariedades interpretativas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/nej.v15n1.p158-173

A NEJ está indexada nas seguintes bases de dados, que cooperam na divulgação do material: CAPES periódicos; LATINDEX; Base de dados da Rede Virtual de Bibliotecas Congresso Nacional - RVBI; IBICT; CrossRef - Digital Object Identifier Registration Agency of the International DOI Foundation; vLex; Google Acadêmico e REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico).