A ÉTICA COMO ESTÉTICA DA CONVIVÊNCIA NAS RELAÇÕES HUMANAS JUDICIAIS: UMA VISÃO PRÁTICA

Sérgio Ricardo Fernandes de Aquino

Resumo


O artigo propõe rever os conceitos de Ética e Estética sob os pensamentos de Platão e Aristóteles, respectivamente. Os fundamentos teóricos apresentados pelos citados filósofos permite pensar-se como, hoje, se apresenta o desenvolvimento das relações humanas. No caso desse estudo, traz-se a ampliação do mencionado conceito a partir da expressão Relações Humanas Judiciais como regra geral. A Ética como fundamento estético das relações judiciais orienta como deve ser a prática da função judicial brasileira entre Juízes, Promotores, Advogados e Pesquisadores do Direito. Espera-se que o presente estudo retome a excelência das relações humanas prazerosas, saudáveis, harmônicas. Essa utopia funda-se na concepção, segundo a qual o Direito se constitui em instrumento de paz.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/nej.v0n0.p05-19