A CRÍTICA HERMENÊUTICA E A CISÃO DOS DISCURSOS EM KLAUS GÜNTHER

Lenio Luiz Streck, Santiago Artur Berger Sito

Resumo


O presente trabalho destina-se a averiguar as razões da cisão discursiva em Klaus Günther, de forma a problematizar o tratamento dispensado à moral como fundamento do jurídico, especialmente diante de uma crítica hermenêutica. Explicitando a relação entre direito e moral, verifica-se como, dentro das posturas procedimentalistas, Klaus Günther desenha sua teoria da adequação. Após, com um foco eminentemente hermenêutico, parte-se para uma revisão do exposto, desta vez compreendendo-o a partir do modo prático de ser-no-mundo, finito. Com tais aportes, conclui-se pelo descabimento da cisão como posta, pois tal diferenciação discursiva é um evento metafisicamente incompatível com o paradigma da filosofia da linguagem.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/nej.v17n3.p456-468