DIANTE DA LEI:O CAMPONÊS DE KAFKA NÃO É O ABANDONADO DE AGAMBEN

Marcelo Alves

Resumo


A obra de Kafka, por seu caráter simbólico e inquietante, tem sido alvo de simplificações,
comparações e apropriações que procuram alistá-la à força junto a conceitos e ideologias os mais diversos,
por vezes antagônicos entre si e até mesmo contrários àquilo que a obra comunica. Agamben
também não resistiu à tal tentação: fez do camponês que protagoniza Diante da Lei o abandonado
exemplar, ou seja, uma ilustração de seu conceito de bando soberano. Mas a interpretação que Agamben
faz do texto de Kafka ignora aspectos fundamentais do próprio texto e da obra kafkiana como um todo.
Ademais, a análise do modo como Agamben “usa” Diante da Lei revela algumas limitações de seu conceito
de bando soberano e indica outras formas de se pensar a relação entre indivíduo e lei. Assim, a crítica
à leitura que Agamben faz de Kafka será, neste ensaio, o ponto de partida e de chegada para a construção
de uma leitura crítica do texto Diante da Lei, sobretudo, naquilo que ele puder contribuir para a
compreensão das formas de relação entre o indivíduo e a lei.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/nej.v12n2.p277-284