PINÓQUIO E A LEI

André Karam Trindade, Henriete Karam

Resumo


O artigo, que se inscreve no campo dos estudos de Direito
na Literatura, é dedicado à obra As aventuras de Pinóquio,
de C. Collodi. Partindo do exame das peculiaridades da literatura
infantil e da fortuna crítica, especialmente as leituras propostas de
matiz histórico-político-social, busca-se abordar o processo de humanização do protagonista como condição para a sua submissão
à lei e sua adesão ao pacto social, privilegiando, mediante a análise
dos elementos figurativos relacionados aos confrontos de Pinóquio
com a Lei, as representações da administração da justiça e, por
consequência, problematizando o caráter meramente coercitivo do
direito, de modo a questionar a sua eficácia normativa.


Palavras-chave


direito e literatura; processo de humanização; submissão à lei e pacto social; As aventuras de Pinóquio.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/nej.v21n3.p1119-1154

A NEJ está indexada nas seguintes bases de dados, que cooperam na divulgação do material: CAPES periódicos; LATINDEX; Base de dados da Rede Virtual de Bibliotecas Congresso Nacional - RVBI; IBICT; CrossRef - Digital Object Identifier Registration Agency of the International DOI Foundation; vLex; Google Acadêmico e REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico).