INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS PARA ANGOLA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

Tiago Grégoire de Souza Pinheiro, Felipe Mendes Borini, Rafael Morais Pereira

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar se as empresas brasileiras que estão indo explorar vazios institucionais em Angola estão sendo apoiadas pelo Estado. Foram adotadas as perspectivas teóricas relacionadas às temáticas de vazios institucionais, de vantagens específicas da firma (FSA) e o papel do Estado na internacionalização de empresas. A amostra do estudo foi composta de entrevistas com 12 especialistas das relações Brasil-Angola. Os resultados da investigação apontam que as empresas brasileiras que foram para Angola possuíam vantagens competitivas bem definidas e, em sua maioria, foram para o país africano visando explorar os vazios institucionais locais. Entretanto, na percepção dos atores envolvidos, as empresas brasileiras que estão indo explorar vazios institucionais, se valendo das suas vantagens competitivas, não foram apoiadas eficientemente pelo Estado brasileiro. Os achados também indicam que, para ter sucesso nos negócios em Angola, é fundamental construir parcerias com agentes locais como empresários e, sobretudo, o governo.

Palavras-chave


Internacionalização de empresas. Vantagens competitivas da firma (FSA). Estado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v24n1.p081-096