TERRITORIALIZAÇÃO DO COTIDIANO A PARTIR DE INTERVENÇÕES GOVERNAMENTAIS: O CASO DAS ACADEMIAS DA TERCEIRA IDADE (ATIS)

Fernanda Guarnieri, Priscilla Borgonhoni Chagas, Francisco Giovanni David Vieira

Resumo


Ao articular de forma teórica o avanço sobre espaço e territórios no campo de Estudos Organizacionais com a abordagem sobre o cotidiano, o presente artigo busca compreender como ocorre a territorialização do cotidiano dos moradores de um determinado bairro a partir da produção do espaço urbano por meio de intervenções governamentais com a implantação de Academias da Terceira Idade (ATIs), que surgiram como uma estratégia para promoção da saúde e qualidade de vida, influenciada por um contexto marcado pela transição demográfica. O estudo tem uma perspectiva qualitativa e caráter descritivo. Os procedimentos metodológicos adotados envolveram a pesquisa documental e a realização de trabalho de campo com entrevistas com idosos que frequentam semanalmente uma ATI em um dos bairros de Maringá, PR, município brasileiro onde foi inaugurada a primeira ATI nacional. Os dados coletados foram analisados por meio da análise de conteúdo. Verificou-se que o espaço antes abandonado e sem uso por parte dos moradores do bairro é agora pautado pelas territorialidades cotidianas dos usuários, que o construíram diante de movimentos de apropriação e uso. Destaca-se, também, a intervenção governamental realizada sem impactos negativos para a população, de forma que a mesma apropriou-se de discursos que propagam os benefícios da ATI.

Palavras-chave


Territorialização; Cotidiano; Academia da Terceira Idade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v25n1(Jan/Abr).p061-078

Direitos autorais 2018 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.