RENDIMENTO ACADÊMICO E OS ESTILOS DE APRENDIZAGEM: UM ESTUDO NA DISCIPLINA ANÁLISE DE CUSTOS

Lara Fabiana Morais Borges, Edvalda Araujo Leal, Taís Duarte Silva, Janser Moura Pereira

Resumo


O objetivo foi verificar se o estilo de aprendizagem impacta no rendimento acadêmico nas avaliações formativas e somativas dos alunos que cursaram a disciplina de Análise de Custos, no curso de Ciências Contábeis. Oportunamente, comparou-se a associação do rendimento na disciplina citada e o rendimento do aluno no semestre, e também no coeficiente geral do curso. Para a análise do rendimento acadêmico utilizou-se a Teoria da Avaliação. Para a coleta de dados, utilizou-se o instrumento proposto por Felder e Soloman (1991), que possibilitou mensurar o estilo de aprendizagem. Para a análise dos dados utilizou-se estatística descritiva, e o teste de Wilcoxon. A amostra compreende 111 alunos matriculados no segundo semestre do ano de 2015 e primeiro semestre de 2016, representando 88% da população. Os resultados apontam a predominância dos estilos ativo, sensorial, visual e sequencial. Quanto ao rendimento acadêmico, verificaram-se maiores médias para as avaliações individuais (somativas). Na comparação do rendimento e os estilos de aprendizagem dos alunos, identificou-se um equilíbrio nas dimensões, ou seja, as médias são próximas tanto para avaliações individuais quanto em grupo e, também, nas médias do Coeficiente de Rendimento Acadêmico (CRA) semestral e geral. O teste não paramétrico Wilcoxon indicou não haver diferença na maioria dos resultados, com exceção entre a avaliação somativa e estilo sequencial/global.

Palavras-chave


Estilos de Aprendizagem, Rendimento Acadêmico, Ciências Contábeis.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v25n2(Mai/Ago).p161-176

Direitos autorais 2018 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.