Desenvolvimento Sustentável: Relação das Abordagens Organizacionais como Forma de Compreensão da Realidade

Luciano Munck, Rafael Borim de Souza

Resumo


Este artigo foi desenvolvido com o objetivo geral de estabelecer um diálogo entre diferentes abordagens
teóricas da Administração e relacioná-las à temática desenvolvimento sustentável. Para tanto, houve a
necessidade de selecionar alguns modelos de compreensão de realidade ofertados por autores vinculados
aos estudos das teorias organizacionais; interrelacionar os modelos de compreensão selecionados por
meio de um quadro de complementaridade para o estabelecimento de possíveis recortes de análise que
permitam o estudo do desenvolvimento sustentável junto às abordagens organizacionais; e, verifi car se o
desenvolvimento sustentável se apresentaria como um fenômeno capaz de ser inserido em apenas um dos
modelos, paradigmas e pontos de interseção analisados, ou como um tema necessário de ser explorado
por uma combinação infi nita entre essas observações da realidade complexa. Em termos metodológicos
classifi ca-se a pesquisa como qualitativa, teórica, exploratória e bibliográfi ca. Para que a viabilidade do estudo
fosse garantida, uma vez que inúmeras são as possibilidades de classifi cação dos paradigmas e diversas
as abordagens de interpretação da realidade, foram selecionadas as contribuições oriundas dos modelos
heurísticos de Ramos (1983), dos paradigmas de Burrell e Morgan (1979) e dos pontos de interseção propostos
por Reed (2007). Por meio do estudo realizado foi possível constatar que o paradigma sustentável, ou seja,
aquele que fundamenta as premissas de um desenvolvimento sustentável, não representa algo inédito à
academia. Em síntese, o desenvolvimento sustentável é um fenômeno capaz de ser compreendido em nível
macro pelos três modelos heurísticos (arcaico, transição, atualizante) de Ramos (1983), discutidos pelos
quatro paradigmas (sociologia funcionalista, sociologia interpretativa, humanismo radical, estruturalismo
radical) de Burrell e Morgan (1979), e explicados pelos quatro pontos de interseção (atuação/estrutura,
construtivista/positivista, local/global e individualista/coletivista) propostos por Reed (2007).
PALAVRAS-CHAVE: desenvolvimento sustentável, modelos de compreensão, abordagens organizacionais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/alcance.v18n3.p302-320

Direitos autorais 2011 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.