A RELEVÂNCIA DOS ASPECTOS COGNITIVOS E AFETIVOS NAS AÇÕES DOS EMPREENDEDORES EM SEUS EMPREENDIMENTOS

Paulo Roberto Vidigal, Vânia Maria Jorge Nassif

Resumo


O alto nível de competitividade forma um cenário no qual a identificação e a análise da importância dos
aspectos cognitivos e afetivos nas ações dos empreendedores podem representar um diferencial para o
desenvolvimento de seus empreendimentos. Este estudo tem por objetivo identificar e analisar a influência
das dimensões dos aspectos cognitivos e afetivos dos empreendedores de micro e pequenas empresas
em suas ações na fase inicial e de estabelecimento. Trata-se de uma pesquisa de natureza exploratória,
cujo método é o qualitativo. O instrumento de coleta de dados utilizado foi a entrevista apoiada no roteiro
semiestruturado. Participaram dez empreendedores: cinco na fase inicial de seus negócios e cinco já
estabelecidos, sendo esse um dos critérios para a escolha do grupo de respondentes. Os resultados foram
tratados por meio da técnica denominada análise de conteúdo, proposta por Bardin (1977) e analisados
com base nos quatro aspectos cognitivos, quais sejam: conhecedor, planejador, criador e colaborador,
conforme Van Den Broeck et al. (2003) e nos aspectos afetivos positivos e negativos, conforme Baron e
Shane (2007). Os resultados revelam que nas ações dos empreendedores os aspectos afetivos possuem
menor força que os aspectos cognitivos na fase inicial e vão ganhando importância ao passar para a fase
de estabelecimento.

Palavras-chave


Empreendedorismo. Aspectos cognitivos. Aspectos afetivos. Ações empreendedoras.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v20n1.p038-057

Direitos autorais 2013 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.