REDES SOCIAIS NA ESTRUTURA DE CAPITAL DAS EMPRESAS DE SERVIÇO DE UTILIDADE PÚBLICA E DE TELECOMUNICAÇÕES

Ilse Maria Beuren, Andréia Carpes Dani, Delci Grapegia Dal Vesco, Nayane Thais Krespi

Resumo


O estudo objetiva verificar a estrutura da participação societária por meio das redes de relacionamento
corporativas e pessoais nas empresas de serviço de utilidade pública e de telecomunicações (telefonia
fixa e móvel) listadas na BMF&Bovespa. Trata-se de uma pesquisa descritiva realizada por meio de análise
documental e com abordagem quantitativa do problema. Na análise dos dados, aplicou-se a técnica de
estatística descritiva e análise de redes. Os resultados relativos às participações societárias mostram que
duas formas estruturais distintas ocorreram. Uma em que as empresas aglutinam, em torno de si, acionistas
dispersos, denominados de “outros”, como autor central da rede, contudo com laços fracos. Outra foi a
ocorrência de poucas empresas (CPFL Geração de Energia S.A.; LF Tel S.A.; UPTICK Participações S.A.)
apresentarem alta concentração na estrutura de propriedade. Conclui-se que as redes de relacionamento
corporativas e pessoais, nas participações societárias do capital social das empresas de utilidade pública
e de telecomunicações (telefonia fixa e móvel) listadas na BMF&Bovespa, possuem aspectos sociais e
estruturais diversos. Esta investigação contribui para a compreensão da estrutura de propriedade no Brasil,
que se diferencia nessas empresas em decorrência de investimentos em ativos específicos de longo prazo
(linhas de transmissão) concedidos à iniciativa privada.

Palavras-chave


Estrutura de capital social. Redes sociais corporativas. Redes sociais de conselheiros. Board Interlocking.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v20n3.p309-324

Direitos autorais 2013 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.