ECOEFICIÊNCIA: UMA DISCUSSÃO DO CONCEITO COMO UMA COMPETÊNCIA ORGANIZACIONAL

Luciano Munck, Flávio Augusto Cella-de-Oliveira

Resumo


A Sustentabilidade Organizacional (SO) pode ser alcançada pelo equilíbrio das sustentabilidades econômica, ambiental e social de forma balanceada. A framework resgatada relaciona estas sustentabilidades, duas a duas, resultando em fenômenos de relacionamento: ecoeficiência (representante das sustentabilidades econômica e ambiental), inserção socioeconômica (representante das sustentabilidades econômica e social) e justiça socioambiental (representante das sustentabilidades ambiental e social). Resgata-se a Teoria do Agir Organizacional (TAO), a qual exprime uma maneira de ver e conceber os fenômenos organizacionais como processos. Com aporte na TAO, sugere-se que a SO pode ser lida como um agir organizacional, que embasa as competências organizacionais e permite o desenvolvimento da SO. O papel da competência é orientar a gestão da sustentabilidade, permitindo delimitar e orientar ações com os agires organizacionais pretendidos. Considerando a SO um processo abrangente, destaca-se a ecoeficiência, sendo o objetivo do trabalho “explicar a ecoeficiência como uma competência e elemento estruturador da sustentabilidade organizacional”. Fez-se um estudo de caso qualitativo em uma indústria de baterias automotivas, em que se realizaram entrevistas com gestores ligados aos processos produtivos e ambientais, o que forneceu subsídios para compreensão da ecoeficiência como competência organizacional e parte da sustentabilidade organizacional, assim como a identificação de competências relacionadas à ecoeficiência.

Palavras-chave


Ecoeficiência. Competências Organizacionais. Agir Organizacional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v21n3.p422-447

Direitos autorais 2015 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.