GRAU DE ADESÃO DE EMPRESAS FAMILIARES ÀS BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA: PROPOSIÇÃO E TESTE DE UM INSTRUMENTO-DIAGNÓSTICO

Carlos Eduardo Bandeira Araújo, Augusto Cézar de Aquino Cabral, Sandra Maria dos Santos, Maria Naiula Monteiro Pessoa, Vivianne Pereira Salas Roldan

Resumo


Esta pesquisa aborda a governança corporativa no contexto das empresas familiares, com o objetivo de
propor e testar um instrumento-diagnóstico que permita verificar o alinhamento da gestão às boas práticas
de governança corporativa. A pesquisa é descritiva quanto aos fins. Em relação aos procedimentos, é
bibliográfica, documental e de campo. Para o teste do instrumento proposto, foram estudados três casos.
O instrumento elaborado com base na literatura é constituído pelas dimensões estratégias; estruturas;
processos e gestão; sustentabilidade; e perenidade. As empresas evidenciaram um grau moderado de
adesão às boas práticas de governança corporativa, apesar de não implementadas de forma sistêmica.
A empresa prestadora de serviços e a comercial demonstraram uma abordagem mais orientada para os
stakeholders do que a fabricante de lingerie, com melhor desempenho na dimensão “Sustentabilidade”.
Apresentaram ainda a melhor pontuação na dimensão “Processos e Gestão”, destacando-se a atuação
eficaz da Direção Executiva. A indústria de lingerie apresentou melhor desempenho quanto à dimensão
“Estrutura”, por ter um Conselho de Administração. Contudo apresentou o pior desempenho na dimensão
“Processos e Gestão”, com destaque para a inexistência de um Conselho de Família, o que prejudica a
eficácia do Conselho de Administração.

Palavras-chave


Governança corporativa. Empresa familiar. Instrumento-diagnóstico.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/alcance.v20n1.p117-138

Direitos autorais 2013 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.