GESTÃO DE UMA VINÍCOLA DA SERRA GAÚCHA: O CASO DA AMARONE ADEGA DE VINHOS FINOS

Alyne Sehnem, Adriana Locatelli Bertolini, Pelayo Munhoz Olea

Resumo


As famílias Amarone e Bergamaschi foram unidas por laços de sangue e também pelos negócios. Suas vidas
foram marcadas por escolhas que as fi zeram se encontrar no Brasil, após tantos percalços enfrentados
na Europa do século XIX. No ano de 1999, com uma safra excelente e a conjuntura econômica nacional
favorecida, surgiu a Amarone Adega de Vinhos Finos: vinícola localizada na cidade gaúcha de Bento Gonçalves.
Fruto do encontro e da união das forças das famílias Amarone e Bergamaschi. O objetivo desse caso para
ensino é incentivar a reflexão e a discussão acerca de temas gerenciais como estratégia, competitividade e
competências organizacionais, bem como observar as influências do ambiente no cotidiano empresarial. O
dilema da Amarone Adega de Vinhos Finos surge quando Carlos Mondi entra em contato com Raul Amarone
e propõe à vinícola exclusividade no fornecimento de seus produtos para a importadora Grand Vin. Por
um lado este é um negócio que se mostra atrativo e que representa uma oportunidade de projeção que
dificilmente a Amarone conseguiria sozinha, por outro lado representa um negócio que envolve alto risco e
propõe uma dependência a que poucas empresas desejariam se submeter.

Palavras-chave


Vinícola. Estratégia empresarial. Negociação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v19n3.p413-433

Direitos autorais 2012 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.