GESTORES E SUSTENTABILIDADE: A DIFÍCIL TRADUÇÃO DO SIGNIFICADO PARA A AÇÃO COMPETENTE

Janette Brunstein, Andrea Leite Rodrigues

Resumo


Competências para a sustentabilidade é um tema emergente num campo ainda carente de trabalhos que tratem de gestores que receberam incumbências relacionadas à assimilação do conceito de sustentabilidade nas organizações. Para estes, a tradução do discurso à prática ainda é um desafio difícil de vencer. Este trabalho tem por objetivo compreender como gestores interpretam as diretrizes da sustentabilidade e traduzem-na em suas ações cotidianas. Trabalhou-se com o conceito de competência societal como a capacidade de lidar com os impactos sociais e ambientais da gestão das organizações em múltiplos grupos de interesse e estabelecer diálogos entre empresas e sociedade. Articular a noção de competência com desafios socioambientais impostos às organizações ainda constitui um campo a ser explorado no mundo acadêmico e um universo de problemas, paradoxos e ambiguidades, no corporativo. Conduziu-se um estudo qualitativo cujos resultados revelaram que sustentabilidade se instaurou como quimera, mas sua operacionalização ainda está envolta em dificuldades para esclarecer como ela acontece concretamente. O propósito é discutir o desenvolvimento da mentalidade do gestor, qual o significado que ele dá a sua prática e como esta pode se reverter em ação competente.

Palavras-chave


Desenvolvimento de competências. Sustentabilidade. Gestores. Educação corporative.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v21n1.p005-024

Direitos autorais 2014 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.