DESMISTIFICAÇÃO DO DIFERENCIAL DE REMUNERAÇÕES NAS EMPRESAS. A SEGREGAÇÃO COMO VERDADEIRA DETERMINANTE

Carlos Manuel Coelho Duarte, José Paulo Esperança, José Dias Curto, Maria Conceição Santos

Resumo


Este artigo analisa as determinantes da remuneração entre géneros dos colaboradores das empresas portuguesas. A metodologia proposta para a análise do diferencial de remuneração é inovadora, dado que se estimam, separadamente para homens e mulheres, modelos econométricos Tobit (com a mesma estrutura de variáveis dependentes e independentes) em vez de se utilizar a decomposição de Oaxaca-Blinder. A segregação existente no mercado de trabalho é um dos principais factores subjacentes ao diferencial de remuneração entre géneros. Porém, com o crescente envolvimento dos homens nas actividades domésticas, as mulheres ficam mais libertas para actividades de “lobbying”, criando condições para ultrapassar o fenómeno de segregação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v17n4.p383-400

Direitos autorais 2010 Revista Alcance

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.