DESAFIO ÉTICO NA COMUNICAÇÃO DE HISTÓRIAS DE VIDAS COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Raquel Alvarenga Sena VENERA, Pedro Antônio Testoni BRUNKEN, Jessica Fernanda GOMES, José Isaías VENERA

Resumo


Este artigo traz reflexões teóricas construídas no Grupo de Pesquisa
Subjetividades e (auto)biografias. Trata-se de duas pesquisas de iniciação científica e inovação que desenvolveram produtos diferentes para comunicar Histórias de Vidas de pessoas diagnosticadas com Esclerose Múltipla. Ambas dialogaram de forma interdisciplinar com a Comunicação, especialmente com a ética no Jornalismo, a História e o Patrimônio Cultural, mas, sobretudo, estiveram atentas à questão ética das pesquisas (auto)biográficas. Com o foco na ética e nas epistemologias que nortearam decisões para as edições dessas histórias, a questão “O que fazer com a palavra do outro?” (ARFUCH, 2010) foi a pergunta que perseguiu o trabalho. A exploração do trauma em uma mídia,
ou a espetacularização da ‘superação’, ou ainda a sensibilidade para a conscientização da doença foram decisões conscientes do trabalho de comunicação e nessas pesquisas funcionaram como caminho reflexivo para pensar os campos envolvidos.


Palavras-chave


Ética; Histórias de Vida; Comunicação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/rbts.v6n1.p70-78

Apontamentos

  • Não há apontamentos.