Tensão entre a vulgarização e a erudição

Altair Alberto Fávero, Carme Regina Schons

Resumo


Tratar do assunto divulgação científica significa abordar um número expressivo de problemas que podem ser formulados em diversas questões: O que é ciência e o que não é ciência? A divulgação científica deve utilizar uma linguagem erudita, técnica, restrita aos especialistas ou deve utilizar uma linguagem mais simples, jornalística, acessível ao grande público, fácil de ser compreendida pelos não- especialistas? Que injunções ideológicas, políticas e éticas podem ser observadas no processo de divulgação científica? Nosso propósito, no presente texto, não é abordar exaustivamente cada uma dessas questões, até porque demandaria um longo espaço de investigação. Optamos por analisar e refletir sobre o que há de problemático na tensão não resolvida entre essas duas dimensões da divulgação da ciência: de um lado, a divulgação científica é pautada pela erudição que esbarra na verticalização dos conhecimentos produzidos pela ciência, afastando o grande público do acesso ao saber historicamente produzido; de outro, a vulgarização da divulgação científica pode transformar os resultados da ciência em mera notícia informativa. Em ambas as situações há ausências e presenças que indicam a possibilidade de constituirmos uma textualidade intermediária entre essas duas formas de divulgação científica.

Palavras-chave


divulgação científica; erudição; vulgarização.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais