Mediadores e mediação: a inclusão em aulas de matemática

Ana Lúcia Manrique, Guilherme Lazarini Ferreira

Resumo


Este artigo apresenta reflexões sobre o uso de uma ferramenta para representação de gráficos por alunos cegos do ensino médio. Apresenta um levantamento histórico do desenvolvimento de institutos para alunos cegos no Brasil e explora a interação entre um professor de matemática e um aluno cego para a confecção da ferramenta, no sentido de favorecer o processo de ensino e aprendizagem deste aluno. E conclui que a inclusão ocorre quando um aluno que possua algum tipo de deficiência tem a oportunidade de ser tratado como todos os outros alunos da sala, bem como partilhar e participar de situações-problema que envolvam a manipulação de ferramentas que o deixem nas mesmas condições de seus colegas para aprender.

Palavras-chave


Inclusão; alunos deficientes visuais; gráficos,;educação matemática

Texto completo:

PDF


Direitos autorais