ME AME, ME ABRACE, ME ACOLHA! SABERES DOCENTES E POLÍTICAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA

Altair Aberto Fávero, Rosimar Serena Siqueira Esquinsani

Resumo


A proposta do texto consiste em analisar minimamente a profusão de cursos e eventos que apelam para a afetividade como argumento de metabolismo para o cotidiano dos professores, ao indagar quais os modelos de formação continuada que estão sendo oferecidos aos professores em geral, pois não há oferta sem demanda, ou seja: o que os professores querem ouvir em seus processos de formação continuada são indicativos de suas necessidades, pautas para a leitura de suas angustias, bem como pistas do que procuram, das estruturas e conceitos onde buscam apoio ou refúgio. Os elementos empíricos para exame e elaboração dos argumentos foram retirados de folderes de divulgação de eventos educacionais e que apresentam características em comum, possibilitando vislumbrar uma tendência em termos de formação continuada para professores. Tais eventos são tipificados em sua forma e conteúdo, possibilitando análises sobre a mercantilização do processo de formação docente continuada, desaguando em aportes teóricos sobre a formação docente continuada. Como conclusão, fica expressa nossa preocupação com a formação docente continuada, descolada de compromisso, estudo, engajamento, reflexão, coragem, arrojo e teoria, pois a formação docente continuada não pode ser reduzida a pedagogia do abraço, que sensibiliza multidões por certos momentos, mas que não se sustenta em um trabalho contínuo, de longa duração.

Palavras-chave


formação docente continuada; afetividade; teoria X prática; pedagogia do abraço

Texto completo:

PDF


Direitos autorais