RESILIÊNCIA E EDUCAÇÃO: APORTES TEÓRICO-PRÁTICOS PARA A DOCÊNCIA

Carla da Conceição Lettnin, Jamile Zacharias, Aline Rocha Mendes, Karina Pacheco Dohms, Juan José Mouriño Mosquera, Claus Dieter Stobäus

Resumo


O presente artigo objetivou analisar aspectos teórico-práticos da resiliência no âmbito educacional e, mais especificamente, na docência, visando reunir informações para o aprofundamento dos estudos sobre a temática do mal/bem-estar docente, bem como possibilitar apoio aos professores. Optamos por uma abordagem metodológica qualitativa, utilizando como fonte de dados os trabalhos publicados na CAPES e na ANPEd, no ano de 2009. Nossa análise apontou as seguintes categorias: Resiliência, adolescência e escola; Resiliência e saberes docentes; Resiliência e instituições de abrigo. Concluímos que a resiliência vem sendo entendida como a capacidade do sujeito de superação das adversidades de forma positiva. Portanto, ela se faz necessária no meio educacional, pois favorece a promoção da saúde mental e emocional do professor, possibilitando ao mesmo experienciar bem-estar na profissão, propiciando, assim, criar um ambiente de ensino favorável à aprendizagem de seus alunos.

Palavras-chave


Mal-Estar Docente. Resiliência. Bem-Estar Docente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/contrapontos.v14n2.p322-338

Direitos autorais