ENVIO DE CARTAS. PRÁTICAS EDUCATIVAS E CRIAÇÃO EM ESCRILEITURAS

Emília Carvalho Leitão Biato, Aline Campos, Vanessa Proença, Vithória Duarte, Silas Borges Monteiro

Resumo


O “Projeto Escrileituras: um modo de ‘ler-escrever’ em meio à vida” se configura como pesquisa e como ação em parceria com escolas associadas aos núcleos de pesquisa de quatro universidades brasileiras, tem em vista práticas docentes que favoreçam e ampliem o desenvolvimento da leitura que se faz pela escrita e da escrita que se faz pela leitura, como práticas indissociáveis, desenvolvidas aqui em Oficinas de Transcriação (OsT). Este estudo teve como objetivo a tomada de textos produzidos por professores e alunos durante uma oficina. Para a manipulação das escrileituras, lançou-se mão de gestos otobiográficos, que funcionam como recursos metodológicos para a escuta de vivências que permeiam a produção individual: expressões da escrita para si, da vontade de potência, da vida que quer, a todo tempo, mais vida. Simultaneamente, a différance, como abertura ao jogo, oportuniza envios resultantes da transcriação.

Palavras-chave


Escrileituras. Transcriação. Envio.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/contrapontos.v14n3.p527-541

Direitos autorais