A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E O PODER: UMA HISTÓRIA A CONTRAPELO

Carmem Lucia Artioli Rolim

Resumo


O presente artigo é resultado de uma pesquisa teórica, que busca compreender a educação matemática como processo sociocultural construído na historicidade dos sujeitos. Tendo por base a abordagem qualitativa, os procedimentos utilizados para o estudo compreendem a pesquisa bibliográfica e documental, com o objetivo de adentrar os mecanismos de poder, presentes na matemática, como processo educacional institucionalizado. Nesse contexto, são exploradas construções históricas da matemática escolar, considerando-se os instrumentos que classificam e adjetivam os sujeitos pautados pelo domínio do conhecimento matemático e legitimados pela classe hegemônica. Os resultados indicam que a educação matemática institucionalizada nas escolas não se desvincula da sociedade, pelo contrário, a ela responde, reafirmando a necessidade de questionar ideologias e analisar o papel da educação matemática como construção social, considerando-se os efeitos de controle e poder que perpassam os processos educacionais.

Palavras-chave


Educação matemática; Controle e poder; Construção social

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/contrapontos.v16n1.p62-77

Direitos autorais 2016 Revista Contrapontos