Esquemas de conhecimento: um dos caminhos para acessar a subjetividade docente

Ademir José Rosso, Maria Virgínia Bernardi Berger

Resumo


Os Esquemas de Conhecimento (EC) ancoram tanto aspectos cognitivos estruturais - invariantes e gerais- quanto conhecimentos das mais diferentes ordens -variantes e particulares. A noção de EC é utilizada no estudo como instrumento analítico para demonstrar que a expressão do pensamento, mediada pela linguagem, comporta elementos objetivos e desiderativos que concorrem na atribuição e mudança de significados. As informações empíricas apresentadas derivam das respostas de vinte sujeitos a uma pergunta a qual solicitava que propusessem interferências no ensino para que os alunos aprendessem sem recorrer à memorização. Na análise foram consideradas as seguintes categorias: conceitos ou pré-conceitos, fatos, procedimentos, normas, explicações, experiência pessoal, julgamento, opinião e crenças. A tabulação identificou como proeminentes as categorias de procedimentos, seguidas de experiências, julgamentos e crenças. A utilização dos EC para compreender as informações docentes consegue traduzir a interdependência e a interpenetração de elementos objetivos e subjetivos que atuam na incorporação de novas informações. Ao considerar os EC das informações docentes, as práticas de formação podem, simultaneamente, trabalhar contra elas ao buscar a correção e a superação; e com elas, ao considerá-las como significativas e verdadeiras construções dos sujeitos.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais