A presença da cultura meritocrática na educação de jovens e adultos

José Licínio Backes, Rute Vivian Ângelo Baquero, Ruth Pavan

Resumo


O texto tem como objetivo problematizar a dimensão da cultura meritocrática que invade a educação, especificamente, neste artigo, a Educação de Jovens e Adultos. A pesquisa de campo foi realizada por meio de entrevistas semi-estruturadas junto a oito professoras da Educação de Jovens e Adultos, gravadas e, posteriormente, transcritas e analisadas. Na análise, observou-se que os/as professores/as apontavam, de maneira recorrente, a meritocracia tanto como causa quanto como solução, seja para os problemas da sociedade ou os de ordem educacional. Para compreender e problematizar estas explicações, articulamo-las com a compreensão de cultura, vista como um processo de construção de sentido. A meritocracia faz parte deste processo de construção cultural, contribuindo para a construção de um individualismo por meio do qual cada um é visto como responsável pelo que é, pelo que pode possuir, pelo lugar que ocupa na sociedade. Este sentido construído culturalmente no contexto atual, como demonstra o artigo está muito presente na Educação de Jovens e Adultos, por meio dos discursos dos/as próprios/as professores/ as. Deste modo, os/as professores/as vêem, muitas vezes, o/a aluno/a da EJA como alguém que se deu conta de que a saída para seu estado de exclusão está nele mesmo enquanto indivíduo e não na luta coletiva, como postula a teoria crítica.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais