Uma reflexão acerca da problemática educacional que envolve o indígena com necessidades educacionais especiais

Paula Edicléia França Bacaro, Irizelda Martins de S. Silva

Resumo


As discussões sobre a educação escolar indígena são um tanto quanto polêmicas, pois, para alguns estudiosos, trata-se de uma escola diferenciada e, para outros, uma escola que deve se adequar às diferenças. O assunto torna-se ainda mais complicado quando o indígena apresenta necessidades educacionais especiais. Nosso objetivo neste artigo é iniciar uma discussão sobre como os indígenas com necessidades educacionais especiais são acompanhados em todos os aspectos de sua educação e apresentar alguns impasses sobre esse tipo de atendimento. Para tanto, analisamos a Constituição Federal de 1988, as leis de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira 9394/96 e o Estatuto do Índio, no que se refere à educação indígena e ao atendimento à pessoa com necessidades especiais. Por meio de entrevistas, procuramos evidenciar os problemas que os indígenas com necessidades educacionais especiais encontram em sua formação. A maior dificuldade enfrentada pelos indígenas é a falta de comunicabilidade devido a falta de profissionais bilíngües em escolas especializadas, como, também, nas escolas da rede regular de ensino.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais