A (ONI)PRESENÇA DO PODER: A TOLERÂNCIA NA PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADES E NO IMAGINÁRIO SOCIAL NAS SOCIEDADES CONTEMPORÂNEAS POR ANÁLISE DA OBRA DE CASTOR RUIZ

Caroline Vasconcelos Damitz, Josiane Petry Faria

Resumo


Vive-se em uma sociedade plural, multicultural, complexa e contemporânea; de maneira que os sujeitos são a todo momento influenciados por símbolos que formam o imaginário social de sua comunidade contextualizado temporalmente. Onipresente a essa influência está o poder, que se exercita e legitima através de mecanismos que interferem na produção das subjetividades dos indivíduos, os tornando cooperantes com o sistema em todas as relações cotidianas. Nesse caminho, o objetivo do trabalho está em refletir quanto as questões relacionadas ao poder, concernentes à sua onipresença e ao diálogo com o Direito e o saber para entender criticamente os paradoxos daí decorrentes. Utiliza-se o método dedutivo e a técnica de pesquisa é a bibliográfica. Nesse estudo se desenvolve conceitos relativos ao patriarcalismo e às relações de poder e gênero.


Palavras-chave


Imaginário social; Poder; Produção de subjetividades

Texto completo:

PDF

Referências


FARIA, Josiane Petry. A democratização da inovação tecnológica, para além de manifestação de poder: o amor como cuidado núcleo de valores de políticas públicas para o desenvolvimento como liberdade. Tese (Doutorado em Direito). Faculdade de Direito. UNISC. Santa Cruz do Sul, 2014. p. 255.

FOUCAULT, Michel. Estratégia, poder-saber. Tradução de Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. São Paulo: Graal, 2012.

HOBBES, Thomas. Leviatã ou matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil. Tradução de João Paulo Monteiro. São Paulo: Nova Cultura, 2000.

LOCKE, John. Dois tratados sobre o governo. São Paulo: Martins Fontes. Tradução Julio Fischer, 1998.

KYMLICKA, Will. Filosofia Política Contemporânea. Rio de Janeiro: Martins Editora, 2006.

MARINA, José Antonio. Teoria da inteligência criadora. São Paulo: Guarda Chuva. Tradução Antonio Fernando Borges, 2009.

MAQUIAVEL, Nicolau. O príncipe. São Paulo: Penguin e Companhia das Letras, 2000.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Tradução de Lourdes Santos Machado. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

RUIZ, Castor M. M. Bartolomé. O (ab)uso da tolerância na produção das subjetividades flexíveis. In: SIDEKUM, Antônio. (Org). Alteridade e multiculturalismo. Ijuí: Ed. Unijuí, 2003. p.115-171.

RUIZ, Castor M. M. Bartolomé. Os labirintos do poder: O poder (do) simbólico e os modos de subjetivação. Porto Alegre: Escritos, 2004.

SORIANO, Rámon. Sociología del Derecho. Barcelona: Editorial Ariel, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.14210/rdp.v13n1.p60-76

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Eletrônica Direito e Política