FORMAÇÃO JUDICIÁRIA NO PLANO CONSTITUCIONAL DAS DEMOCRACIAS MODERNAS: PRINCÍPIOS E DIRETRIZES A SEREM OBSERVADAS NA PREPARAÇÃO DE MAGISTRADOS

João Batista Lazzari, Gilson Jacobsen

Resumo


Este estudo se insere na seguinte Linha de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica da Universidade do Vale do Itajaí - PPCJ/UNIVALI: DIREITO E JURISDIÇÃO. Também aproveita pesquisas de Direito e Justiça Constitucional realizados por seus autores junto à Alma Mater Studiorum Università di Bologna – UNIBO, na Itália. Ele analisa a importância e os contornos do que seja uma adequada formação de magistrados em nossos dias. Nesse afã, o artigo indaga quais são os princípios e as diretrizes pedagógicas que devem ser observados para uma formação eficaz de magistrados. E conclui que a formação, inicial e continuada, de juízes deve ser multidisciplinar e focada na prática judicial, visando a transmitir-lhes valores e capacidades profissionais que complementem sua formação jurídica. A investigação, o tratamento dos dados e a elaboração do relato desta pesquisa são realizados com base no método indutivo.

PALAVRAS-CHAVE: Jurisdição Constitucional. Formação Judiciária. Juízes. Princípios. Diretrizes.


Palavras-chave


Jurisdição Constitucional; Formação Judiciária; Juízes; Princípios; Diretrizes

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAZIONE NAZIONALE MAGISTRATI. I magistrati e la sfida della professionalità. Roma: Ipsoa, 2003.

ASSOCIAZIONE NAZIONALE MAGISTRATI. La Magistratura. Itália: Articolo Rivista. 29 maggio 2017. Disponivel em: http://www.associazionemagistrati.it/print/2647/dalla-formazione-iniziale-allesercizio-delle-funzioni-giurisdizionali.htm Acesso em: 11 jun 2018.

ASSOCIAZIONE NAZIONALE MAGISTRATI. La modernità del giudice e la B.D.D.C.: viaggio virtuoso fra le vie dell’organizzazione e della formazione. Itália: Articolo Rivista, 29 maggio 2017. Disponivel em: http://www.associazionemagistrati.it/print/2628/la-modernit-del-giudice-e-la-bddc-viaggio-virtuoso-fra-le-vie-dellorganizzazione-e-della-formazione.htm Acesso em: 11 jun 2018.

ARMYTAGE, Levingston. Educating Judges. Kluwer Law Int.: London & Boston, 1996 apud ENFAM, Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Diretrizes Pedagógicas da ENFAM. Brasília: ENFAM, 2017.

BARBERA, Augusto; FUSARO, Carlo. Corso di diritto costituzionale. 3 ed. Bologna: Il Mulino, 2016.

BIN, Roberto; PITRUZZELLA, Giovanni. Diritto Constituzionale. 16 ed. Torino: G. Giappichelli Editore, 2015.

CONSIGLIO SUPERIORE DELLA MAGISTRATURA. Magistratura: Il Percorso Professionale. Itália. 2018.

Disponível em: https://www.csm.it/web/csm-internet/magistratura/ordinaria/percorso-professionale?show=true&title=formazione&show_bcrumb=formazione Acesso em: 08 jun 2018.

CONSIGLIO SUPERIORE DELLA MAGISTRATURA. Linee programmatiche sulla formazione e l'aggiornamento professionale dei magistrati per l'anno 2018. Itália: Delibera del 27 luglio 2017. Disponível em: https://www.csm.it/documents/21768/87321/Linee+programmatiche+sulla+formazione+e+l%27aggiornamento+professionale+dei+magistrati+per+l%27anno+2018/a206b096-105b-a525-6a24-78e80c0402f1 Acesso em: 11 jun. 2018

ENFAM, Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Diretrizes Pedagógicas da ENFAM. Brasília: ENFAM, 2017.

GUARNIERI, Carlo et al. Anatomia del Potere Giudiziario: Nuove concezioni, nuove sfide. Roma: Carocci editore, 2016.

GUARNIERI, Carlo; PEDERZOLI, Patrizia. Il sistema giudiziario: l'espansione del potere giudiziario nelle democrazie contemporanee. Bologna: il Mulino, 2017.

KOLB, David A. Experiential Learning. Englewood Cliffs, New Jersey: Prentice Hall, 1984.

LIGÜERRE, Carlos Gómez. Juízes na Europa: Formação, selecção, promoção e avaliação. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, outubro de 2014.

MENDES, Mário Tavares. A formação inicial e continua de magistrados: uma perspectiva do Centro de Estudos Judiciários de Portugal. Brasília: Revista CEJ n. 24, p. 23-29, jan./mar. 2004.

MEZZETTI, Luca. Teoria Costituzionale: principi costituzionali – Giustizia costituzionale – Diritti umani – Tradizioni giuridiche e fonti del diritto. Torino: G. Giappichelli Editore, 2015.

MEZZETTI, Luca. Manuale Breve Diritto Costituzionale. 12 ed. Milano: Giuffrè Editore, 2017.

Nações Unidas (ONU). Escritório Contra Drogas e Crime (UNODC). Comentários aos Princípios de Bangalore de Conduta Judicial. Tradução de Marlon da Silva Malha, Ariane Emílio Kloth. Brasília: Conselho da Justiça Federal, 2008.

OBERTO, Giacomo. La formazione professionale dei magistrati italiani nell'ottica della formazione del giurista europeo. in Riv. dir. priv., 2003, pag. 173-210; dal 9 ottobre 2002. Disponível em: http://www.giacomooberto.com/goethe/relazione.htm Acesso em: 08 jun 2018.

PASOLD, Cesar Luiz. Metodologia da Pesquisa Jurídica: Teoria e Prática. 12 ed. rev. São Paulo: Conceito Editorial, 2011.

PISANESCHI, Andrea. Diritto Costituzionale. Torino: G. Giappichelli Editore. 2014

PRETTI, Divide; TORRACA, Silvia. Manuale di Ordinamento Giudiziario. 3 ed. Torino: Editora G. Giappichelli Editore. 2015.

REALE, Miguel. Lições preliminares de Direito. São Paulo: Saraiva, 2003.

REFJ, Rede Europeia de Formação Judiciária. Manual da REFJ sobre a metodologia de formação judiciária na Europa. REFJ: Bruxelas: 2016. Disponível em: http://www.ejtn.eu/PageFiles/15756/Judicial%20Training%20Principles_PT.pdf Acesso em: 18 abril 2018.

SANTOS, Boaventura de Sousa (Coord). O Sistema Judicial e os Desafios da Complexidade Social: novos caminhos para o recrutamento e formação de magistrados. Portugal: Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, 2011. Disponível em: http://www.smmp.pt/wp-content/relatorio_formacao_16jun_final.pdf. Acesso em: 22 mai. 2018.

SCARSELLI, Giuliano. Ordinamento giudiziario e forense. 4 ed. Milano: Giuffrè Editore, 2013.

UNIÃO EUROPEIA, Comissão Europeia - Direção-Geral da Justiça e dos Consumidores. Formação judiciária europeia – Conselhos para os organismos de formação. Luxemburgo: Serviço das Publicações da União Europeia, 2016.

ZAGREBELSKY, Gustavo; MARCENò, Valeria; PALLANTE, Francesco. Lineamenti di Diritto costituzionale. Firenze: Le Monnier Università, 2014.




DOI: https://doi.org/10.14210/rdp.v15n1.p249-274

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Eletrônica Direito e Política