ASPECTOS DA SUBJETIVIDADE NA QUESTÃO DE GÊNERO EM LUIS ALBERTO WARAT

João Martins Bertaso, Candice Nunes Bertaso

Resumo


O ensaio pretende verificar a existência de um poder impessoal e simbolicamente instituído que disciplina a instituição da sociedade na determinação dos sujeitos sociais. O objetivo é verificar como o poder é inserido nas significações imaginárias das pessoas e o processo pelo qual, ambos os sexos estão recondicionando a forma de representação da sociedade, especificamente no que se refere aos seus papéis e espaços sociais. Assim, a questão do gênero é vinculada à construção da subjetividade e de que a ordem social natural totalitária produz uma subjetividade simbólica ilusória, mas determinante das relações sociais de poder e força. A categoria de gênero é colocada em discussão para demonstrar as implicações que o exercício do poder tem sobre a configuração da subjetividade masculina e feminina. O ensaio ancorou seu aporte teórico, sob o olhar do feminino, a partir de Luis Alberto Warat, além dos autores Alain Touraine, Gilles Lipovetky, Riane Eisler, Manuel Castells. Charles Taylor, Alex Honneth e Maria Rita Kehl.

Palavras-chave


Subjetividade, Gênero, Feminino.

Texto completo:

PDF

Referências


CASTELLS, Manuel. O Poder da Identidade. A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. Vol. 2. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1999.

COSTA, Sérgio. Complexidade, diversidade e democracia. In Souza, Jessé (org). Democracia hoje: novos desafios para a teoria democrática contemporânea. Brasília: editora Universidade de Brasília, 2001.

DIAS, Maria Berenice. A lei Maria da Penha na justiça: a efetividade da lei 11.340/2006 de combate à violência doméstica e familiar contra a mulher. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2007.

_____, Maria Berenice. Aspectos jurídicos do gênero feminino. Construções e perspectivas em gênero. Organizado por Marlene Neves Strey; Flora Mattos; Gilda Fensterseifer e Graziela Werba. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 2000.

EISLER, Riane. O cálice e a espada – Nossa história, nosso futuro. Rio de Janeiro: Imago Ed, 1989.

FRASER, Nancy. Redistribuição, reconhecimento e diferença: por uma concepção integrada de justiça. In: IKAWA, Daniela; PIOVESAN, Flávia, SARMENTO, Daniel (org.). Igualdade, diferença e direitos humanos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.

FOUCAULT, Michel. A história da sexualidade. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

GOHN, Maria da Glória. Novas Teorias dos Movimentos Sociais. 3d. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

HABERMAS, Jurgen. A inclusão do outro. São Paulo: Loyola, 2002.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Ed. 34, 2003.

KEHL, Maria Rita. Deslocamentos do feminino: A mulher freudiana na passagem para a modernidade. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1998.

LIPOVETSKY, Gilles. La tercera mujer. Barcelona: Editorial ANAGRAMA, S.A., 1999.

NOBRE, Marcos. Luta por reconhecimento: Axel Honneth e a teoria crítica. In: HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral ‘dos conflitos sociais. São Paulo: Ed. 34, 2003, p. 18.

PERROT, Michelle. Mulheres públicas. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

ROSANVALLON, Pierre. La legitimidade democrática- Imparcialidad, reflexividad y proximidad. Madrid: Espasa Libros, S.L.U., 2010.

TAYLOR, Charles. El multiculturalismo y “la política del reconocimiento”. Tradução Mónica Utrilla de Neira. México: Fondo de Cultura Ecónomica, 2006.

_______, Charles. Argumentos Filosóficos. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

________, Charles. Multiculturalismo: Examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Instituto PIAGET, 1994.

__________, Alain. Um novo paradigma: para compreender o mundo de hoje / Alain Touraine; tradução de Gentil Avelino Titton. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

__________, Alain. O mundo das mulheres. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

WARAT, Luis Alberto. Por quem cantam as sereias / Luiz Alberto Warat; trad. Por Julieta Rodrigues Sabóia Cordeiro. Porto Alegre: Síntese, 2000.

_______, Luis Alberto. Territórios Desconhecidos: A Procura Surrealista pelos Lugares do Abandono do Sentido e da Reconstrução da Subjetividade. Vol 1. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2004.

________, Luis Alberto. A Ciência Jurídica e seus dos maridos. 2. Ed. Santa Cruz do Sul : EDUNISC, 2000.

________, Luis Alberto. Manifestos para uma ecologia do desejo. São Paulo: Editora Acadêmica. 1990.




DOI: https://doi.org/10.14210/rdp.v15n3.p1053-1083

Apontamentos

  • Não há apontamentos.