O PRINCÍPIO CONSTITUCIONAL DA RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO E A IMPLEMENTAÇÃO DO PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO COMO FORMA DE GARANTIR CELERIDADE AOS LITÍGIOS

Jason Albergaria Neto, Newton de Araújo Lopes Júnior

Resumo


RESUMO

Objetivou-se com este trabalho tratar da informatização dos processos judiciais e da sua relação com a garantia constitucional da razoável duração do processo judicial. O problema da pesquisa cinge na implementação do processo eletrônico como forma de garantir a razoável duração do processo e suas consequências. O objetivo geral é demonstrar que simplesmente digitalizar e transferir os litígios judiciais para o meio eletrônico não é, necessariamente, capaz de garantir a razoável duração do processo. Em muitos casos, a falta de treinamento e de tecnologias para os membros da justiça podem acarretar maior morosidade do judiciário. Optou-se pela análise bibliográfica e jurisprudencial com suporte no método dedutivo. Como resultado observou-se que não basta transferir os autos físicos para o meio eletrônico. Restou comprovada a necessidade de investir em tecnologias e em treinamento da comunidade jurídica como um todo, para garantir ao jurisdicionado um resultado efetivo em tempo razoável.

PALAVRAS-CHAVE: Processo; Celeridade; Garantia constitucional; Informatização.

ABSTRACT

The objective of this work was to deal with the computerization of judicial proceedings and their relationship with the constitutional guarantee of the reasonable length of the proceedings. The research problem concerns the implementation of the electronic process as a way to guarantee the reasonable duration of the process and its consequences. The overall objective is to demonstrate that simply digitizing and transferring legal disputes to electronic media is not necessarily able to guarantee the reasonable duration of the process. In many cases, the lack of training and technologies for members of the justice system can lead to greater delays in the judiciary. We opted for bibliographic and jurisprudential analysis based on the deductive method. As a result, it was observed that it is not enough to transfer the physical records to the electronic medium. There remains a proven need to invest in technology and training for the legal community as a whole, in order to guarantee the jurisdiction an effective result within a reasonable time.

KEYWORDS: Process; Speed; Warranty; Constitutional; Computerization.


Palavras-chave


Processo; Celeridade; Garantia constitucional; Informatização.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA FILHO, José Carlos de Araújo. Processo eletrônico e teoria geral do processo eletrônico: a informatização judicial no Brasil. 1ª ed. Rio Janeiro: Forense, 2007.

ATHENIENSE, Alexandre. Comentários à Lei 11.419/06 e as práticas processuais por meio eletrônico nos Tribunais brasileiros. Curitiba: Juruá Editora, 2010.

BARBOSA, Rui. Oração aos moços. Edição popular anotada por Adriano da Gama Kury. 5 ed. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1997.

BARROSO, Darlan. Manual de direito processual civil: Execução. São Paulo: Manole, 2007.

BRASIL. Lei 5.869, de 11 de janeiro de 1973. Código de Processo Civil de 1973. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2019.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: Acesso em: 08 jun. 2019.

BRASIL. Lei 9.800, de 26 de maio de 1999. Permite às partes a utilização de sistema de transmissão de dados para a prática de atos processuais. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2019.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 45, de 30 de dezembro de 2004. Altera dispositivos dos arts. 5º, 36, 52, 92, 93, 95, 98, 99, 102, 103, 104, 105, 107, 109, 111, 112, 114, 115, 125, 126, 127, 128, 129, 134 e 168 da Constituição Federal, e acrescenta os arts. 103-A, 103B, 111-A e 130-A, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.259, de 12 de julho de 2001. Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2020.

BRASIL. Projeto de lei nº 5828, de 04 de dezembro de 2001. Dispõe sobre a informatização do processo judicial e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2020.

BRASIL. Lei 11.419, de 19 de janeiro de 2006. Dispõe sobre a informatização do processo judicial; altera a Lei nº 5.869, de 11 de janeiro de 1973 – Código de Processo Civil; e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2019.

BRASIL. Lei 11.280, de 16 de fevereiro de 2006. Altera os arts. 112, 114, 154, 219, 253, 305, 322, 338, 489 e 555 da Lei nº 5.869, de 11 de janeiro de 1973 - Código de Processo Civil, relativos à incompetência relativa, meios eletrônicos, prescrição, distribuição por dependência, exceção de incompetência, revelia, carta precatória e rogatória, ação rescisória e vista dos autos; e revoga o art. 194 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 - Código Civil. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.419, de 19 de dezembro de 2006. Dispõe sobre a informatização do processo judicial; altera a Lei nº 5.869, de 11 de janeiro de 1973 – Código de Processo Civil; e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2020.

BRASIL. Lei 13.105, de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil de 2015. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2019.

BRASIL. Justiça em Números 2018: ano-base 2017/Conselho Nacional de Justiça. Brasília: CNJ, 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2020.

DINAMARCO, Cândido. Execução civil. São Paulo: Malheiros, 2002.

DONIZETTI, Elpídio. Curso de direito processual civil. 19ª ed. São Paulo: Atlas, 2016.

ESPANHA. Lexnet. Presentación de Escritos Iniciados de Ejecución. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2019.

LENZA, Pedro. Direito Constitucional esquematizado. 16ª ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

LUCON, Paulo Henrique dos Santos. Duração Razoável e Informatização do processo judicial. Panóptica, Vitória, ano 1, n. 8, p. 368-384. Maio-Junho, 2007. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2019.

OAB. Os cinco maiores problemas do Processo Eletrônico. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2019.

PORTUGAL. Procuradoria Geral Distrital de Lisboa. Portaria 280, de 26 de agosto de 2013. Regula vários aspectos da tramitação eletrônica dos processos judiciais. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2019.

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito Processual Civil. v. II. 36 ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito Processual Civil – Teoria Geral do Direito Processual Civil, processo de conhecimento e procedimento comum. v. I. 56 ed. Rio de Janeiro: Forense, 2015.

TUCCI, José Rogério Cruz e. Tempo e processo. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1997.

WAMBIER, Luiz Rodrigues; WAMBIER, Teresa Arruda Alvim (Coord.). Temas essenciais do novo CPC: análise das principais alterações do sistema processual civil brasileiro. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2016.




DOI: https://doi.org/10.14210/rdp.v16n1.p129-156

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Eletrônica Direito e Política