A CIÊNCIA POLICIAL NO BRASIL

Aldo Antonio dos Santos Junior, Aldo Antonio Hostins dos Santos, Adriano Ferreira Alves da Silva

Resumo


O estudo constata que a ciência policial no Brasil, apesar de já contar com um arcabouço de conhecimento bem consolidado, ainda não está conformada como
ciência em razão da caracterização histórico-social da República Federativa do Brasil. Internacionalmente a ciência policial é reconhecida como ciência onde
possuem organizações de ensino e periódicos científicos para a difusão do conhecimento, como e.g.: Espanha, Estados Unidos, Japão, Inglaterra, Chile, Angola, México, Portugal e Peru. Para compreender esta questão foi realizada uma pesquisa de cunho bibliográfico onde se levantou questões ligadas à compleição das ciências, notadamente aspectos epistemológicos, o método científico, a observação e análise, a formação e a disseminação do conhecimento
na ciência policial. O trabalho está composto em dois blocos, onde o primeiro trata dos fundamentos e o segundo, da relevância da ciência policial. Conclui-se que a ciência policial não está sendo considerada no Brasil como um campo do conhecimento humano, apesar de possuir uma estrutura para tal reconhecimento, como acontece em outros países. Destaca-se que existe uma série de periódicos científicos brasileiros onde são difundidas as pesquisas que
sucederam a partir da instituição da Secretaria Nacional de Segurança Pública, a partir do ano 2000.


Palavras-chave


Ciência policial; Epistemologia; Teoria; Polícia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/rdp.v8n1.p623-648

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais