A INTER-RELAÇÃO CONFLITUOSA ENTRE A NOVA ÉTICA AMBIENTAL E O CONSUMISMO

Mateus de Oliveira Fornasier

Resumo


usca-se apresentar o conflito entre consumo e efetivação de uma ética que possibilite o respeito para com a natureza. Primeiramente é delineado o histórico
das relações entre o homem e a natureza, desde a consideração da natureza como sagrada até a atual proposta da visão da natureza como projeto, sendo
propostas novas considerações éticas, nas quais o princípio da frugalidade harmoniza consumo e preservação. Após, analisam-se as transformações sociais a partir da metade do século XX, emergindo a sociedade de consumo. Estuda-se também a teoria do consumo conspícuo, demonstrando-se que além das influências heterônomas, há a propensão humana a consumir o supérfluo. Por último, demonstra-se já haver tecnologia suficiente para proporcionar conforto
sem agravar a crise ambiental – porém, ações em prol de grandes interesses privados no âmbito público, aliados à sedução midiática, fazem com que não se adotem mudanças capazes de acabar com o conflito consumo-natureza.

 


Palavras-chave


ética ambiental; sociedade de consumo; consumo conspícuo; sedução midiática.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/rdp.v7n3.p2253-2276

Apontamentos

  • Não há apontamentos.