ESTRANHOS NA ERA DA INSATISFAÇÃO: DA CRIAÇÃO À IMOBILIDADE

Airto Chaves Junior

Resumo


Este   estudo   busca   refletir  especialmente   sobre  as   conseqüências  da   cruel lógica   do  consumo. Esse  modelo de  sociedade  que  tem como   subproduto  o aumentar de  distância  entre  aqueles que  podem  e  aqueles  que  não  podem realizar  os desejos  provocados pelo  mercado, que  promete sucesso  a  partir da aquisição   dos    produtos    ofertados    pela    mídia.    Assim,   desenha-se   uma  sociedade antropoêmica,  que   vomita   os   excluídos  do   jogo,   aqueles  cujos meios não  se  encontram à  altura de  satisfazer  os  desejos.  A prisão funciona como     instrumento   de    produção   de    imobilidade   dessa    grande   parcela populacional  que   não   consegue  se  adequar  às  incisivas  exigências  do  novo  mundo globalizado.

Palavras-chave


Consumo, excluídos, estranhos, prisão.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/rdp.v3n2.p53-72

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Direito e Política