TURISMO EMISSIVO BRASILEIRO – UMA ANÁLISE COM MODELOS DE DADOS EM PAINEL

Roberto Meurer

Resumo


O número de brasileiros viajando ao exterior como proporção da população é pequeno em comparação com o mundo. Apesar disso, as despesas com viagens representam importante parcela das despesas com serviços no balanço de pagamentos. Neste trabalho, os determinantes do número de brasileiros viajando ao exterior são estimados por meio de modelos em painel, utilizando produto interno bruto do Brasil e a taxa de câmbio da moeda brasileira em relação aos países de destino como variáveis explicativas. São utilizados os dados para os 12 países que recebem o maior número de brasileiros, de 2004 a 2008. Os resultados indicam que há um forte componente autorregressivo no número de viajantes, o que é compatível com a formação de hábito. A reação do número de brasileiros viajando ao exterior é inelástica à taxa real de câmbio. Quando utilizados os dados para os quatro países que recebem o maior número de viajantes brasileiros, Argentina, Estados Unidos, Chile e Uruguai, a relação entre câmbio real e número de viajantes permanece inelástica, mas a relação com a renda dos brasileiros é elástica. Estes resultados são importantes para o planejamento da oferta de serviços de turismo emissivo e doméstico, substituto do turismo internacional. A influência das variáveis macroeconômicas para o comportamento do número de viajantes é especialmente importante, considerando o regime de câmbio flutuante, que leva a oscilações no número de viajantes.

Palavras-chave


Turismo emissivo. Taxa real de câmbio. Crescimento do PIB. Despesas turismo emissivo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/rtva.v14n2.p261-268

ISSN: 1983-7151

Tur., Visão e Ação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil.