A ARTE DA OLARIA NO TURISMO DA REGIÃO ALGARVE, PORTUGAL

Jean Carlos Vieira Santos, João Albino Silva

Resumo


Este artigo foi desenvolvido com o objetivo de veicular uma abordagem e analisar um contexto em que a tradicional atividade popular oleira se mantém viva em território luso, preservando uma identidade associada ao turismo e aos seus negócios. Ela se tornou, aliás, potencialmente a ideia central que sustentou a escolha do tema: estudar a realidade contemporânea da olaria de Porches/Lagoa na região Algarve, sul de Portugal. Desse modo, a proposta deste texto tem, como ponto de partida de análise, um “modelo com os elementos que caracterizam as olarias e os oleiros do Algarve”, apresentando uma reflexão com possibilidades multidisciplinares de discussões inexauríveis. A construção deste estudo foi realizada por meio de uma pesquisa bibliográfica, da aplicação de questionário e de trabalhos de campo e gabinete, permitindo uma aproximação dos pesquisadores com a realidade portuguesa investigada. Como resultado, o artigo mostra quem são os oleiros no destino turístico internacional: 50,2% são de origem algarvia, 33,2% são oriundos de outros países e 16,6% são do Alentejo. Tais indivíduos têm entre 50 e 65 anos, e 50,2% se formaram em escolas.

Palavras-chave: Artista Estrangeiro. Olaria. Algarve. Cultura. Turismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/rtva.v17n3.p658-690

ISSN: 1983-7151

Tur., Visão e Ação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil.