O reconhecimento como ideologia e os papéis dos media na representação da mulher

Rafael Barbosa Fialho Martins, Aline Bastos

Resumo


O artigo visa problematizar a questão do reconhecimento feminino enquanto ideologia na perspectiva do filósofo alemão Axel Honneth, com aporte dos Estudos Culturais de Stuart Hall e do pensamento crítico da feminista Nancy Fraser. Buscamos mostrar como os media tentam impor sentidos estereotipados sobre as mulheres – como na matéria da revista Veja sobre a primeira dama do Brasil, intitulada “Marcela Temer: bela, recatada e do lar” – mas ao mesmo tempo podem oferecer alternativas para a emancipação da mulher – como no talk show popular Casos de Família, do canal de televisão SBT. O estudo mostra, em suma, que embora nem sempre isso ocorra, os media têm o potencial de conferir visibilidade às mais diversas questões concernentes à mulher brasileira nos dias de hoje, papel que deve ser cada vez mais estimulado nas/pelas práticas midiáticas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/vd.v16n02.p%25p