A Recife como Mise en Scène na obra de Kleber Mendonça Filho

Aline Aparecida de Souza Vaz

Resumo


O presente estudo busca identificar uma unidade temática e estética na obra de Kleber Mendonça Filho - Eletrodoméstica (2005), Recife Frio (2009), O Som ao Redor (2012) e Aquarius (2016) - em que a representação da cidade e os modos de vivenciar os espaços criam pares de oposição: a cidade que valoriza o isolamento e o uso social dado pela convivência; a cidade constituída pela ideia de mercado e o pensamento de comunidade, apropriação humana. Por intermédio da Teoria dos Cineastas: uma abordagem para a teoria do cinema (2015) analisamos, diante dos atos criativos de Mendonça, o espaço fílmico como uma tela de tensões do espaço urbano. Questionando os modos de habitar, encontramos conceitos identificados em imagens, vistas na tela e além dela: no pensamento crítico do cineasta e em sua transposição cinematográfica.


Palavras-chave


Cinema; Kleber Mendonça Filho; Espaço Urbano.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/vd.v17n01.p%25p