Informação e espetáculo: análise dos gêneros jornalísticos exibidos no programa Fantástico

Heloisa Juncklaus Preis Moraes

Resumo


O presente estudo de caso analisa os gêneros jornalísticos exibidos pelo Programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão, com base nos estudos teóricos sobre gêneros textuais, especificamente os gêneros jornalísticos. Através do levantamento dos gêneros que estão presentes com mais ênfase no referido programa, busca-se provocar uma discussão acerca do fazer-jornalismo nos dias atuais. O inventário dos gêneros presentes é analisado sob a perspectiva da Sociedade do Espetáculo proposta por Guy Debord (1997) - e dos conceitos de sensacionalismo, espetáculo e simulacros, e promove uma reflexão sobre a função social do jornalismo e seu papel na formação do imaginário social. O fazer-jornalismo, especialmente o televisivo, tem sido marcado pela lógica do consumo (e audiência), misturando informação, entretenimento e encenações/dramatizações o que, levando-se em conta as classificações mais comuns de gêneros jornalísticos (como notícia, reportagem, entrevista e editorial), acaba descaracterizando o Fantástico como programa jornalístico. O vínculo com o telespectador acaba no “boa noite final”. Não há uma experiência mediada a ser revelada e complexificada. Nesse sentido, os gêneros exibidos, na sua particularidade totalizante, nos mostram muito do jornalismo televisivo atual.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/vd.v11n1.p%25p