O mal-estar no jornalismo: uma reflexão sobre as doenças mentais no discurso da Folha de S. Paulo a partir dos teóricos frankfurtianos

Denise Cristina Ayres Gomes

Resumo


O artigo analisa a representação dos transtornos psiquiátricos no jornal Folha de S. Paulo. O corpus é constituído por 29 matérias do ano de 2011. O estudo toma por base a teoria crítica e a psicanálise que fundamentam a concepção frankfurtiana do modelo psíquico do homem liberal. O artigo aborda os autores Erick Fromm (1984), Max Horkheimer (1976; 1985), Theodor Adorno (1992), enfoca os conceitos de sociedade unidimensional de Herbert Marcuse (1973), e patologia da modernidade de Jürgen Habermas (FREITAG, 1995). A análise revela a predominância das depressões, pânico e toxicomanias.

Palavras-chave


jornalismo; doenças mentais; frankfurtianos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14210/vd.v14n01.p%25p