Temporalidades ressignificadas: as performances narrativas das experimentações juvenis

Everly Pegoraro

Resumo


Neste artigo, problematiza-se aquilo que denominamos de performances narrativas de temporalidade híbrida, elaboradas por jovens que participam de culturas urbanas que buscam referências principalmente no passado histórico. Eles reelaboram eventos da Idade Média a piqueniques da Era Vitoriana, e hibridizam temporalidades com narrativas literárias, históricas e midiáticas. Para isso, inicialmente, relaciona-se os conceitos de cultura urbana e juvenilização da cultura na tessitura contemporânea. Em seguida, problematiza-se a ideia de hibridismo temporal, relacionando-a às performances narrativas de temporalidade híbrida, para analisar as operações memoráveis (intencionalmente fictícias ou de caráter veritativo) que os jovens envolvidos nessas culturas urbanas elaboram.


Palavras-chave


Cultura urbana, práticas memoráveis, visualidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/vd.v15n02.p%25p